28.11.06

¿"Eu quero" ou "eu preciso"?

É muito comum ouvir diariamente a expressão "estou com vontade de mijar/urinar" ou "estou com vontade de fazer xixi". Pois bem. Vontade? Como assim? Por acaso você urina porque quer, ou melhor, porque seu cérebro ou, pros mais emotivos, porque seu coração quer/"manda"? Não. Claro que não!

Se existe "querer" nesse caso, ele pertence à bexiga. Sim, ela é quem "diz" para o cérebro que ela precisa ser esvaziada. Logo, urinar não é um ato de vontade (pelo menos não diretamente) e sim uma necessidade. A maioria das pessoas sente prazer enquanto urina, aquele alívio sentido ao esvaziar a bexiga, mas nada que chegue a motivar a pessoa a beber só para mijar depois. Pode-se dizer que mijar é "unir o útil ao agravável".

Outra coisa, por acaso alguém diz "estou com vontade de fazer cocô" ou "estou com vontade de cagar"? Não. Crianças enquanto "inocentes" talvez, mas o comum é algo mais "educado", geralmente: "preciso ir ao banheiro". Enfim, bota os menino pra nadar, como diria Ary Toledo, é reconhecidamente uma necessidade, enquanto urinar, que é outra necessidade, é tratado como um ato voluntário.

Seria orgulho? talvez, consciente ou inconscientemente o ser humano dificilmente reconhece que precisa de algo ou de alguém. É muito mais fácil dizer que quer, que tem vontade de, do que reconhecer suas necessidades, ainda que sejam meramente biológicas.
____
Por Guilherme M. Marcon

1 Comments:

Blogger Vih said...

faz sentido!!

3:41 PM  

Postar um comentário

<< Home